11 de Outubro de 2009

Mini ONU 10 Anos!

Posted in Uncategorized às 8:00 AM por Carolina Barros

Celso Amorim (foto: Fernando Santana)

Celso Amorim (foto: Fernando Santana)

Prezados delegados,

Foram oficialmente abertos os Trabalhos do Mini ONU 10 Anos!

Percebemos o interesse dos senhores, ao reunirem o comitê durante a cerimônia de ontem, para já se conhecerem, fazer alianças e novas amizades!

Contamos com a presença do ilustre Chanceler Celso Amorim, que proferiu uma palestra memorável!

No dia de hoje, as palestras e filmes, em comemoração aos 10 anos de evento, foram muito elucidativas e despertou ainda mais o interesse dos senhores não apenas pelo evento, mas por este incrível mundo da política e das relações internacionais!

Um abraço a todos!

Clarice Morais

Carolina Barros

Vívan Magalhães

10 de Outubro de 2009

Cerimônia de Abertura

Posted in Uncategorized às 12:46 AM por Carolina Barros

Prezados delegados,

Hoje, às 19 horas, teremos a nossa cerimônia de abertura, que contará com a ilustre presença do Ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim.

Durante o período de credenciamento, eu e minhas diretoras assistentes estaremos presentes, caso surja alguma dúvida podem nos procurar!

Sejam muito bem vindos ao 10º Mini ONU e, especialmente, ao DSI!

Abraços,

Clarice Morais

Carolina Barros

Vívian Machado

9 de Outubro de 2009

Proposta de Resolução

Posted in Uncategorized às 6:27 AM por Carolina Barros

Há alguns dias, enviamos aos senhores um guia prático de introdução de Proposta de Resolução e proposta de emendas!

Mas, então, os senhores podem ter se perguntado: O que é essa tal Proposta de Resolução??

Este é o documento que será redigido pelos senhores e aprovado (ou não) ao final dos trabalhos do comitê.  O fato de uma proposta de resolução não ser aprovada, não significa que o comitê foi ruim, ou os trabalhos improdutivos; muitas vezes é a aproximação da realidade que faz com que isso aconteça. No mundo real, é muito difícil nas negociações, que todos os desejos dos países sejam atingidos!

Resumindo: se haverá uma resolução aprovada (votada pela maioria simples do comitê) ou não (não atingiu a maioria simples de votos) não é o mais importante. Mas, é imprescindível que cheguem propostas de resolução à mesa.

Utilizo-me, novamente, de um post publicado no Blog oficial do Mini ONU 10 anos, redigido pelo Secretário Geral Gabriel Pimenta, para os senhores terem um modelo de Proposta de Resolução!

________________________________________________________________________________________

Seguindo nosso pequeno manual das pequenas coisas que constroem o fascinante meio dos modelos, e logo, também do MINI-ONU, hoje uma pequena elucidação sobre o que é uma proposta de resolução.

Os documentos a serem adotados (ou não) ao final de uma reunião de embaixadores devem seguir, via de regra, um determinado formato. E uma vez que eles estabelecem uma série de decisões, seu conteúdo deve ser negociado antes (ou seja, nos quatro dias anteriores de simulação) e sua aprovação votada.

Portanto, ao final dos trabalhos, o consenso acerca das decisões a serem tomadas deve ser apresentado para votação no seguinte formato:

“O Comitê Internacional de Decisões Importantes;

enfatizando seu próprio poder;

considerando as cláusulas do Tratado Internacional de 1981;

resolve que irá extinguir todas as medidas que desobedeçam o Tratado Internacional de 1981;

decide que estão revogadas todas as decisões em contrário.”

Em itálico, as clásulas preambulares, que apenas indicam as fontes de onde emana o poder das decisões contidas na resolução. Em negrito as cláusulas operativas, isto é, aquelas que contém aquilo de substancial a ser decidido e implementado pelos Estados pela resolução obrigados.

Documento de Trabalho ou Documento Provisório

Posted in Uncategorized às 6:20 AM por Carolina Barros

Dando sequência aos procedimentos adotados no comitê, apresentamos uma ferramenta muito importante para os nossos trabalhos, os documentos de trabalho também conhecidos como documentos provisórios.

Tendo em vista que há um post muito explicativo sobre o tema no Blog oficial do Mini ONU 10 anos, irei reproduzir o texto criado pelo Secretário Geral, Gabriel Pimenta.

__________________________________________________________________________________________

À medida em que o MINI-ONU se aproxima, é de bom tom que todos fiquem mais familiarizados com os termos usados durante a simulação. Um deles serve especificamente para as informações impressas elaboradas pelos delegados, os documentos de trabalho.

De caráter apenas informativo – isto é, a princípio, não é uma decisão tomada pelo comitê – o documento de trabalho tem como função divulgar um determinado fato de importância para o andamento do comitê. Não possui formato fixo, e seu conteúdo pode incluir reasserções sobre política externa, anúncio de consensos, informações técnicas, dentre outros. Para sua divulgação para todo o comitê, o documento de trabalho deve ser encaminhado à mesa para aprovação.

Como aprender na prática, via de regras, é mais fácil, segue abaixo um exemplo de documento de trabalho.

“As nações signatárias deste documento de trabalho declaram de forma enfática e peremptória que estão tomando todas as medidas cabíveis para combater o tráfico de armas, drogas e mendigos em sua fronteira comum. O estabelecimento da Força Especial de Vigilância, principal destas medidas, trouxe resultados significativos, e os países propõem a criação de forças análogas em todos as regiões vitimadas pela mesmo problemas.

Signatários: República de Hatay, Krakhozia, Nibia”

Fonte: http://minionu10anos.wordpress.com/

8 de Outubro de 2009

Guia de Etiqueta

Posted in Uncategorized às 9:55 AM por Carolina Barros

Senhores delegados,

Como todos sabem, a data do início das negociações se aproxima e, com ela, nossos anseios e dúvidas crescem em progressão geométrica.

O post de hoje vai tratar de questões de ordem prática, todas elas ligadas a um tema central: a etiqueta no ambiente diplomático. O texto tem por objetivo sanar algumas dúvidas e incentivá-los a serem os delegados mais polidos desse Mini-ONU! Portanto, segue um guia prático de como se portar durante as negociações:

1 – Vestimenta

A vestimenta é um item de grande importância, afinal, é muito mais prazeroso debater quando os colegas estão vestidos de acordo, não é? Para os meninos: o terno é indispensável, assim como a gravata com um nó bem dado, a camisa para dentro da calça, a barba feita e o cabelo penteado. Para as meninas: terninhos, vestidos sóbrios, saias até o joelho e sapatos de salto alto são bem-vindos, assim como maquiagens discretas. É fundamental lembrar que Outubro é um dos meses mais quentes do ano e que o bem-estar de todos é vital. O que não é bem-vindo: jeans, camisetas, bermudas, saias curtas, tênis e chinelos, decotes, maquiagem e perfumes exagerados, etc.

2 – Celular

Deve ser mantido DESLIGADO enquanto o comitê estiver em andamento. Simples assim.

3 – Comunicação com a mesa e com os outros delegados

É desejável que os delegados se comuniquem entre si e com a mesa diretora. Entretanto, não é interessante que os delegados se movimentem excessivamente no comitê durante os debates (com a exceção dos debates não-moderados) por dois motivos principais: devido ao grande número de delegados em nosso comitê a movimentação excessiva pode dispersar o foco das discussões; e a mesa diretora pode ter sua atenção desviada. Desta forma, pedimos aos senhores delegados que, quando quiserem se comunicar com a mesa diretora ou com os colegas, que enviem bilhetes através de nossos voluntários. Assim o foco dos debates não será desviado e manteremos um canal de comunicação eficiente.

4 – Linguajar

Lembrando, mais uma vez, que estaremos em ambiente diplomático, tomar cuidado com a linguagem empregada (tanto falada quanto escrita) é mais do que importante: é imprescindível. Não ofender os colegas, não utilizar de expressões demasiadas informais e observar as regras ortográficas e gramaticais, são apenas alguns dos pontos importantes. Ademais, pedimos que os senhores tenham atenção para/com seu tom de voz.

5 – Postura

Estamos partindo do pressuposto que os senhores estão, a esta altura, preparados para darem o melhor de si na simulação. Assim sendo, também esperamos que os senhores saibam fazê-lo sem que, para isso, seja necessário desrespeitar os colegas, as diretoras ou os voluntários. Alguns pontos relevantes:

• Respeite o discurso do outro, mesmo que você não concorde; a discordância entre delegados é positiva para o enriquecimento das discussões, mas tudo deve ser feito com cortesia;

• Respeite as decisões das diretoras: elas estarão lá para garantirem o bom andamento do comitê;

• Os voluntários não são escravos de ninguém, são eles que fazem que a logística do comitê ocorra e que nada falte aos senhores;

• Evite comer dentro do comitê: caso queria se alimentar durante os debates, pedimos que o senhor o faça do lado de fora do comitê (lembrando que beber água é permitido o tempo todo);

• Nenhuma forma de violência será tolerada: nem verbal e muito menos física. Ao menor sinal de agressão entre os delegados, esses serão advertidos e poderão ser convidados a se retirar do comitê;

• Entre outros.

No mais, desejamos que o convívio entre todos seja o melhor possível e que as discussões sejam proveitosas, e que os senhores tenham o DSI do X Mini-ONU como um evento memorável!

Documento de Posição Oficial

Posted in Uncategorized às 7:57 AM por Carolina Barros

Prezados delegados,


devido à grande demanda acerca da estrutura e sobre como redigir um DPO, republicarei o tópico que trata do tema. Aqueles que já leram, em breve teremos mais novidades do DSI. Para aqueles que ainda não leram, será de grande ajuda quando forem confeccionar seus Documentos!

____________________________________________________________________________________________

Alguns meses antes dos 5 dias de simulação, os senhores já começam seus estudos, a partir do momento em que lhes é delegado o país que representarão e o comitê do qual farão parte. Durante este processo, é muito importante que os senhores identifiquem os interesses de seu país dentro do comitê.

A partir disso, trace metas para a negociação, identifique aliados e tenham claro o que desejam conseguir aprovar na resolução final.

Todo este processo deve resultar em um Documento de Posição Oficial (DPO) que deverá ser entregue à mesa diretora no primeiro dia de simulações. Sugiro que os senhores sejam objetivos, não ultrapassando uma página. O documento deve conter no cabeçalho o nome oficial do país e o comitê. Em quatro ou cinco parágrafos exponha, de forma clara, o posicionamento de seu país perante o tema, seus objetivos e ressalvas. Destaco que não é necessário um histórico do país ou do tema, visto que este não é o objetivo do DPO. Este Documento faz parte do processo de análise dos senhores pela mesa diretora.

Resumidamente, um DPO deve conter:

  • Cabeçalho com nome do comitê e nome oficial do país;
  • Introdução sobre o contexto do seu país no tema tratado;
  • Posicionamento atual, com objetivos, ressalvas e considerações que julguem pertinentes;
  • Conclusão;

Lembro aos senhores que devem ter sempre bem claro aquilo que podem declarar, e aquilo que usarão com moeda de barganha nas negociações. Portanto, não diga tudo em seu DPO, apenas as informações necessárias! Estaremos em um ambiente onde a negociação e argumentação serão intensas, e a barganha é um instrumento do qual dispõem, portanto, saibam usá-lo!

7 de Outubro de 2009

Questões Procedimentais – Resolução Final

Posted in Uncategorized às 8:31 AM por Carolina Barros

Assembléia Geral - Nações Unidas

Assembléia Geral - Nações Unidas

Prezados delegados,

Um dos momentos mais tensos e esperados do comitê é quando surgem as propostas de Resolução. Sabemos das dificuldades, primeiramente, em redigir uma Proposta que atenda ao interesse de um grande número de países. Posteriormente, surgem as regras de introdução de proposta de resolução, propostas de emenda, lista de oradores e, por fim, a votação.

Para ajudá-los, eu e minhas diretoras assistentes criamos um guia simplificado de como funcionam e a ordem destes procedimentos. Este pequeno guia será muito útil aos senhores!

Lembro que na revisão de regras repassaremos todas estas informações!

Bons Estudos!

Proposta de resolução

Delegado leva proposta de resolução com um mínimo de 30 assinaturas para apreciação da mesa

¯

Mesa dá o ok; a proposta de resolução está pronta para ser introduzida (depois de digitada e impressa)

¯

Delegado move moção para introdução da proposta de resolução

¯

Mesa dá o ok e pede para os voluntários distribuírem cópia da proposta de resolução para todos os delegados

¯

Mesa chama um signatário para ler somente as cláusulas operacionais da proposta de resolução

¯

Debate prossegue acerca da proposta de resolução

Proposta de emenda

Delegado leva proposta de emenda com um mínimo de 5 assinaturas para apreciação da mesa

¯

Mesa dá o ok; a proposta de emenda está pronta para ser introduzida

¯

Delegado move moção para introdução da proposta de emenda

¯

Mesa dá o ok, projeta e lê a proposta de emenda

¯

Abre-se lista de discursos paralela; dois falam a favor da proposta de emenda e dois falam contra

(entre os discursos só há questões; com o término da lista há também moções)

¯

Fecha-se a lista paralela após moção para fechamento e/ou encerramento da lista

¯

Votação da proposta de emenda (passa por maioria simples)

Após a votação de todas as emendas

Retorna-se à lista de discursos

¯

Algum delegado pode mover moção para fechamento e/ou encerramento da lista de discursos

¯

Caso a moção passe, prossegue-se automaticamente para a votação da proposta de resolução

(obs.: só há debate porque há lista de discursos; fechamento da lista de discursos equivale ao encerramento do debate)

¯

Algum delegado pode mover moção para votação por chamada

¯

Vota-se a proposta de resolução

Observação importante: neste comitê não haverá divisão da questão na votação da resolução final.

29 de Setembro de 2009

Irã testa mísseis de longo alcance, diz TV estatal

Posted in Uncategorized às 10:01 AM por Carolina Barros

No domingo, o Irã já havia testado mísseis de curto alcance

No domingo, o Irã já havia testado mísseis de curto alcance

Atualizado em  28 de setembro, 2009 – 04:57 (Brasília) 07:57 GMT

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/090928_ira_misseis_dg.shtml

A televisão iraniana noticiou nesta segunda-feira que o país testou mísseis de longo alcance Shahab-3.

Os mísseis têm alcance de cerca de dois mil quilômetros, podendo atingir, em tese, Israel e bases americanas no Oriente Médio. Parte da Turquia também estaria no alcance dos Shahab-3.

No domingo, o Irã havia lançado dois mísseis de curto e médio alcance. Os canais estatais Al Alam e Press TV mostraram imagens de manobras militares nas quais os mísseis de curto alcance Tondar-69 e Fateh-110 foram lançados em um terreno semelhante a um deserto.

As TVs não precisaram o alcance dos mísseis, mas especialistas em defesa acreditam que o Fateh possa atingir alvos a 170 km de distância e o Tondar, a 150 km. Além disso, foram testados os mísseis Shahab-1 e Shagab-2. Segundo informação do comandante das Guardas Revolucionárias do Irã, general Hossein Salami, à televisão estatal iraniana em inglês Press TV, os mísseis de médio alcance podem atingir alvos entre 300 km e 700 km.

As manobras são realizadas após o recrudescimento das tensões entre o Irã, de um lado, e Estados Unidos, França e Grã-Bretanha, de outro, por causa da informação, divulgada no fim da semana passada, de que Teerã está construindo uma nova usina de enriquecimento de urânio.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse que a única finalidade da usina é produzir energia elétrica, e que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), responsável por monitorar as questões nucleares mundiais, foi informada dos planos iranianos há poucos dias, mais de um ano antes de as instalações entrarem em operação.

Mesmo assim, os três países condenaram a iniciativa iraniana, e o presidente americano, Barack Obama, afirmou que prefere uma solução diplomática para a crise.

Representantes iranianos e de seis potências militares mundiais (EUA, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha) se reúnem em Genebra, Suíça, na próxima quinta-feira, para discutir com o Irã uma série de temas, incluindo o programa nuclear iraniano.

27 de Setembro de 2009

Ataques a bomba matam pelo menos 16 no Paquistão

Posted in Uncategorized às 10:13 PM por Carolina Barros

Explosão deixou mais de 75 pessoas mortas em Peshawar

Explosão deixou mais de 75 feridas em Peshawar

Atualizado em  26 de setembro, 2009 – 10:53 (Brasília) 13:53 GMT

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2009/09/090926_paquistao_bombas_pu.shtml

Pelo menos 16 pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas na explosão de duas bombas no noroeste do Paquistão, segundo autoridades paquistanesas.

A mais potente atingiu a cidade de Peshawar apenas horas após ameaças de ataque feitas por um líder do Talebã paquistanês, Hakimullah Mehsud, em meio a ofensivas militares conta o grupo.

Pelo menos dez pessoas morreram e mais de 75 ficaram feridas quando os explosivos, colocados em um carro e acionados por contagem regressiva, foram detonados em uma movimentada região comercial da cidade por volta do meio-dia.

Horas antes, na cidade de Bannu, um militante suicida detonou seu veículo carregado de explosivos perto de uma delegacia de polícia, deixando pelo menos seis pessoas mortas.

O repórter da BBC em Islamabad Aleem Maqbool disse que os últimos desdobramentos foram os mais violentos das últimas semanas. Ele acrescentou que, no conflito, são os civis os que pagam o preço mais alto.

Recentemente, o governo paquistanês conquistou importantes avanços na luta contra o Talebã, conseguindo eliminar o chefe do grupo, prender diversos outros comandantes e reduzir o número de ataques suicidas.

Entretanto, disse o repórter, sob nova liderança, o Talebã tem demonstrado que ainda pode se impor através do uso da violência.


Irã realiza simulação de guerra com mísseis a partir de domingo

Posted in Uncategorized às 10:07 PM por Carolina Barros

MARMOUD

sábado, 26 de setembro de 2009 14:19 BRT

http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE58P05M20090926

TEERÃ (Reuters) – A Guarda Revolucionária do Irã fará exercícios de defesa com mísseis nos próximos dias, a partir de domingo, para estimular a capacidade de intimidação da República Islâmica, informou a mídia iraniana.

O anúncio feito neste sábado coincide com o aumento da tensão sobre a disputa nuclear que envolve o Irã e o Ocidente, após Teerã revelar que estava construindo uma segunda usina para enriquecimento de urânio.

Os relatos não informaram os tipos de mísseis que poderiam ser usados na simulação. Em maio, o Irã disse que estava testando mísseis que analistas de defesa disseram que poderiam atingir Israel e as bases dos Estados Unidos no Golfo.

Os Estados Unidos, que suspeitam de possível criação de bombas nucleares no Irã, já expressaram preocupação sobre o programa de mísseis.

O Irã conduz com frequência exercícios de guerra ou teste de armamentos para mostrar sua firmeza em conter qualquer ataque inimigo.

Um comunicado citado por agências de notícias iranianas disse que o objetivo dos exercícios realizados pela força aérea da Guarda Revolucionária seria “aumentar a capacidade de intimidação das forças armadas iranianas”.

O general Hossein Salami, chefe da força área da Guarda, disse que as simulações poderiam incluir lançamentos simultâneos de mísseis com alvos, informou a Guarda em sua página na Internet.

Os exercícios vão durar alguns dias e acontecerão em diversas localidades.

Página seguinte